11 janeiro, 2011

Leitura e interpretação - 8° ano

O PAPAGAIO REZADOR
     Papagaio se conhece é pelo amarelo da cabeça. Se o amarelo é esmaecido, pode falar, mas fala baixinho; se é gema de ovo, lustroso, cor de canário tratado a folha de alface e água de limão. É falador garantido.
     Cabeça para aprender e falar, e até para pensar, tinha aquele papagaio ainda novo, caído do ninho em dia de tempestade. Presente que deram ao vigário. Bicho tagarela, aprendeu as palavras e a forma de combiná-las; arremedava o sacristão ralhando com os coroinhas, imitava as beatas cantando o “perdoai, senhor”. Aprendeu a tirar ladainha, melhor que certos noviços mal entoados, que às vezes, vinham ajudar o vigário.
     Por tudo isso, o padre ficou muito sentido quando soube que o louro tinha fugido, atrás de um bando de papagaios que passara, barulhando, na direção do pouso da tarde. Chegou a maldar que o sacristão o tivesse dado, ou, quem sabe?, vendido. Mas antes de acusar, tirou informações e se convenceu de que o ingrato tinha mesmo ido embora, sem dizer adeus.
     Daí passou o senhor vigário a viver de lembranças: quando o coro cantava, quando os noviços desafinavam, quando as beatas se esganiçavam, até quando ele mesmo tirava a ladainha de maio, já lhe doía a saudade. Sem falar do poleiro vazio, cuja vista lhe apertava o coração.
    Acontece, porém, que o tempo é como o vento soprando areias de dunas. Dia a dia, pouco a pouco, vai recobrindo casas e até igrejas. Um louro, ainda que ente querido, sempre é menor que uma casa. E em menos de três anos a areia do esquecimento o recobria.
     Um fim de tarde, refestelado o vigário na cadeira de balanço, no alpendre perfumado de madressilvas, quando menos se espera foi aquele coro de vozes cadenciadas, aquele modo de falar, se perguntando e se respondendo. O padre só fez olhar para o alto e logo viu o bando de papagaios: agitando asas, grupados, acompanhavam o da frente que modulava seguro:__”Stella matutina!__ e o bando uníssono compacto: __”Ora pro nobis”.
     Homem de muito viver, o vigário sorriu. Notou que o da frente estava mais magro, mais esbelto. Mas pelo amarelo da cabeça. Lustroso como canário e pelo entoado da voz, nem duvidou que era o louro fugido. Reabriu o  “ Breviarium Romanum” e deu com o salmo 135:”Qui facit mirabilia magna solus” (Aquele que só faz maravilhas).
Marina Cavalcanti Proença
1. De acordo com o texto, qual o sinal de um papagaio falador?
_______________________________________________________________________________
2. O que mostra, no 2° parágrafo, que este papagaio é diferente dos demais?
_______________________________________________________________________________
3. Como você resumiria a biografia do papagaio até chegar às mãos do padre?
_______________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________
4. Que frase do texto demonstra melhor a inteligência da ave?
_______________________________________________________________________________
8. “...aquele coro de vozes cadenciadas...”.O que significa a palavra em destaque?_______________________________________.
9. Cada frase abaixo apresenta uma palavra em maiúsculas com um determinado significado. Formule uma outra frase com a mesma palavra, mas com sentido diferente, escrevendo-a no caderno.
a) È muito difícil comer MANGA sem sujar as mãos.

b) O vento balança as FOLHAS  das árvores.
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
c) A LINHA estava descolorida.
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------


2 comentários:

  1. O autor não seria MANOEL Cavalcanti Proença?
    No trecho: __”Stella matutina!__ e o bando uníssono compacto: __”Ora pro nobis”. A pontuação original é assim? É um travessão? A primeira aspa abre, mas não fecha.
    Queria passar esse texto para os alunos, mas está um pouco confuso...

    ResponderExcluir
  2. não esta confuso ta sertinho gostei muito desse texto

    ResponderExcluir